segunda-feira, 8 de maio de 2017

(...)

A vida cobra de uma maneira intensa, garoto. Não adianta. É quando você deita na cama e não levanta mesmo depois de quinze horas. E chora escondido. É quando você complica a sua vida e perde o seu amor por ego inflamado. É quando você esconde do mundo e de você o que sente a fim de parecer mais monstruoso ou menos sentimental. É quando você muda não por prazer mas por ilusão. E quando você corre mesmo não tendo pique. Quando você quer enganar o mundo mas só está enganando a si mesmo e caindo no próprio buraco negro. É aí que ela fere, corta, sapateia na sua cabeça, arrebenta seu coração. É aí que ela pede a força que você pensa ter, é aí que ela arrebenta o balão mágico onde você se esconde e te deixa nu. Sozinho e no frio. No meio da avenida lotada de carros, onde o único atropelado é você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário